"Um espaço reservado para falar das lembranças, histórias e episódios dos mais de 50 anos de Mil Milhas Brasileiras. E de outras coisas mais!"

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Tráfego em 2004


Um registro de um momento movimentado da Mil Milhas de 2004, onde o carro de segurança se dirige aos boxes e a disputa volta a ter bandeira verde. Na foto:

Porsche GT3 nº1 (amarelo) - Ricardo Etchenique, Nonô Figueiredo, Paulo Bonifácio e Maurizio Sala (2º lugar)
BMW M3 nº 27 - Luiz Fernando Baptista, Antônio Ermírio de Moraes e César Urnhani (12º lugar)
Aldee Coupê 2.0 nº 81 - Fábio Steinbruch e Ricardo Malanga (30º lugar)
Dodge Viper GTS-R - Stefano Zonca, Fabrizio Gollin e Angelo Lancelloti (vencedores)
Protótipo Radical Suzuki 1.5 nº6 - Duda Pamplona, Valmir Benavides e Michael Vergers (6º lugar)
Porsche 911 GT3 nº 31 (azul) - Otávio Mesquita, Luiz Zattar, Sérgio Magalhães e Marcos Barros (4º lugar)
Protótipo MCR/Audi nº 3 - Mário Covas Neto, Pedro Pimenta e Daniel Giafrantti (15º lugar)
Protótipo Aldee Spyder 2.0 nº 44 - Marcelo Marques e Markeson Marques (29º lugar)
Protótipo Aldee Spyder 2.0 nº 40 - Marcos Fantinati, Frederico Fungaro e Moisés Severo (9º lugar)
Protótipo Aldee Spyder 2.0 nº 88 - Erico Sodré, Luciano Rocco e Heinz Jurgen Halle (10º lugar)


sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Corvette Dimas de Mello Pimenta



Hoje falarei um pouco sobre um carro que foi tradicional participante das Mil Milhas da década de 90. Trata-se do Corvette ZR1 V8 6.0 de Dimas de Melo Pimenta Filho. A primeira vez que o carro foi inscrito numa Mil Milhas foi no ano de 1994. Infelizmente não possuo registros de posição de largada e chegada dele nessa prova.

No ano seguinte, Dimas inscreveu o carro na prova novamente, tendo como parceiros de pilotagem os filhos Rodrigo Pimenta (Vice-campeão da Copa Montana em 2012) e Dimas de Melo Pimenta III (Campeão da extinta DTM Pick-Up Divisão B em 2002). O trio conquistou a sétima posição no grid de largada com o tempo de 1min51s750. A prova para o Corvette nº 6 foi curta: após oito voltas, Dimas Pimenta (pai) encostou o carro na subida da junção com problemas de câmbio.

Em 1996, a família Pimenta teve uma missão mais difícil na prova. Após largar em último, o Corvette vinha escalando posições num ritmo muito forte, tanto que em menos de 10 voltas de corrida, já estava na segunda posição, atrás do Porsche 911 que venceria a prova. Infelizmente, a corrida para o Chevy acabou com 51 voltas completadas, por conta de problemas mecânicos. Neste ano, estreou a pintura branca com o patrocínio da Rodbel, empresa que pertence a Dimas Pimenta Filho.

O ano era 1997 e pela primeira vez as Mil Milhas eram disputadas fora do Autódromo de Interlagos. Por iniciativa do tricampeão Nelson Piquet, a prova seria disputada no autódromo que leva seu nome, em Brasília. Isso se deu pelos problemas enfrentados nos dois anos anteriores, com a não liberação da pista de Interlagos para a realização da prova no mês de Janeiro (por conta das tradicionais reformas realizadas antes do GP Brasil de F1, que na época era realizado no mês de março), e pela inviabilidade comprovada de realizar as Mil Milhas no mês de Abril, após a passagem da F1 pelo autódromo. Na prova, o Corvette nº 6 teve uma quebra na transmissão, após 27 voltas completadas. A pilotagem ficou por conta do mesmo trio dos anos anteriores.

A partir de 1998, o Corvette da família Pimenta não mais largou em uma Mil Milhas, apesar de ter sido visto algumas vezes em treinos livres, como em dezembro de 2001, onde participou de treinos cerca de um mês antes da 30ª edição da prova. Infelizmente o carro não disputou a prova de 2002.

Em 2003, o carro reaparece na prova de kilômetro lançado realizada na pista do Centro de Tecnologia Aeroespacial, localizado em São José dos Campos  - SP. Durante a prova, um grande susto para a equipe Dimep: A quase 300 km/h, a pressão aerodinâmica fez com que a frente do carro se desintegrasse, quebrando o pára-brisas, mas Dimas Pimenta manteve o controle do carro, mesmo com o mínimo de visão possível da frente. Quando o carro retornou para o pátio, os mecânicos removeram os restos da frente do carro, o pára-brisa quebrado e a vigia traseira, para que o Corvette continuasse na disputa, correndo como "um verdadeiro roadster". Mas antes de entrar na pista novamente, o piloto solicitou que os presentes se afastassem da pista nas marcas de 1000, 1400 e 2000, pois sem a frente o carro ficou muito instável. Felizmente, nada de mais grave aconteceu e o Corvette da Dimep (agora com pintura amarela e com o logotipo da Dimep) terminou a prova na 5ª posição, com a média (duas passagens) de velocidade de 264,2 km/h.

Desde então o Corvette está aposentado, sendo que em imagens recentes de um encontro entre amigos realizado na fazenda Dimep em setembro do ano passado mostram o carro guardado, sem o motor Chevrolet V8 6.0 com cerca de 700 cavalos, que aparentemente foi utilizado no protótipo Dimep GT R1.

Fontes: Revista Auto Power nº 24 - Junho de 2003
             Revista Grid nº 22 - Maio de 1995
             Blog: //paperslotcar.blogspot.com.br (fotos recentes do carro)


video

Largada da prova de 1995, na disputa com o AS-Vectra de Djalma Fogaça

No grid de largada em 1995


Estréia da pintura branca e frente modificada, em 1996

Em exposição no ano de 2003

Prova de kilômetro lançado


Guardado na garagem da fazenda, ao lado do Escort XR3 V8 de arrancada

Rodrigo Pimenta em prova da Copa Montana em 2012

Dimas Pimenta III em prova da extinta DTM Pick-up em 2003, após ser campeão da categoria B em 2002

sábado, 12 de janeiro de 2013

Ford Ka 2.0 16v em 2001


Um pequeno foguete! Esta é a definição mais exata para o Ford Ka com motor Zetec 2.0 16 válvulas preparado pelo piloto e preparador Leandro de Almeida que disputou a 29ª edição das Mil Milhas, em janeiro de 2001. Leandro dividiu a tocada com o piloto Sérgio Louzão.

Aliado à potência do motor Ford, o baixo peso do Ka fazia com que ele ganhasse boa vantagem nas longas retas de Interlagos em relação aos outros competidores de sua categoria (Cat. 4). O tempo de volta na classificatória ficou em 1min56s141. Infelizmente, o Ford Ka teve que abandonar a prova no início da manhã ( a largada dessa edição foi dada às 3 horas e 5 minutos da manhã, em virtude dos transtornos causados por um temporal que desabou sobre a região de Interlagos ainda no fim da tarde) com 70 voltas completadas, ficando na 50ª posição. O motivo do abandono foi o aquecimento do motor, pois a mangueira de água rasgou após o carro ter passado por cima de uma peça que caiu de um protótipo, ainda durante a madrugada.

Após a prova de 2001, o Ka voltou a disputar algumas provas de longa duração, mas por falta de patrocínio, ficou guardado até ser vendido ao piloto e preparador Roberto "Coruja" Amaral, que o colocou na ativa novamente em provas da categoria Força Livre, em Interlagos.


sábado, 5 de janeiro de 2013

Os importados em 1989






Além de ter sido a última Mil Milhas Brasileiras disputada no traçado antigo de Interlagos, a 19ª edição, disputada em 21 de Janeiro de 1989, foi marcada pela volta dos carros importados à disputa da prova. Após 1970, eram permitidos apenas veículos produzidos no Brasil ou importados que já estivessem há muito tempo no país. As estrelas importadas da prova em questão foram: A Mercedes 190E 2.3 nº 48 pilotada pelo trio Raul Boesel/ João "Capeta" Palhares/Raymond Lourel, sendo este último piloto Francês e proprietário do carro, e o Porsche 944 Turbo nº 10 de Élio Seikel/Ricardo Cosac/Marcelo Gomide, sendo que o trio era participante do então Campeonato Brasileiro de Marcas e Pilotos.

A corrida terminou para a Mercedes durante a madrugada, devido a um problema no circuito eletrônico da injeção/ignição, enquanto liderava a prova com Raul Boesel ao volante. O Francês Lourel não chegou a pilotar o carro.

Para o Porsche, a corrida teve contornos dramáticos. Após um dos frequentes acidente da prova (muito devido ao número excessivo de carros que largaram), a direção de prova resolveu fechar os boxes no momento em que o pace car entrou na pista. Por azar, justamente nessa hora o Porsche estava nos boxes, que fez com que ficasse parado por 2 voltas. Na volta à pista, os pilotos do Porsche ainda conseguiram recuperar 1 volta de vantagem para o líder (Zeca Giaffone, que havia assumido a liderança às 4:30 da manhã), mas não foi o suficiente para receber a quadriculada na liderança. A equipe do carro alemão ainda protestou junto à Comissão de Justiça da Federação Paulista de Automobilismo, mas o recurso foi julgado improcedente.

Os 10 primeiros da prova:

1º Chevrolet Opala Stock Car N° 1 Zeca Giaffone e Walter Travaglini SP – 204 voltas
2º Porsche 944 Nº 10 Élio Seikel, Ricardo Cosac e Marcelo Gomide RJ – 203 voltas
3º Chevrolet Opala Nº 18 Camilo Christófaro, Camilo Christófaro Jr. e Américo Bertini SP – 197 voltas
4o Chevrolet Opala Geancarlo Mahieux, Franklin Lima e Rodolfo Pousa SP – 197 voltas
5o Chevrolet Opala Nº 8 Dimas Mello Pimenta, Walmir Benavides e Oscar Chanoski SP/SP/SC – 196 voltas
6o Chevrolet Opala Nº 82 Sílvio Gléria, Ricardo Steinfeld e Manoel “Manelão” Ferreira SP – 192 voltas
7o Chevrolet Opala Nº 27 Ênio Di Bonito, René Vanuci e Carlos Souza SP – 191 voltas
8o Passat Marcas Alvino Pereira, Marcos Paioli e Jindra Nicolau Kraucher SP – 188 voltas
9o Passat Marcas Nº 47 Fernando La Rocque, Fernando Montá e Gustavo Vieira SP – 187 voltas
10o Ford Escort Dedé Gomes, Paulo Lomba e Flávio Barros SP/RJ/RJ – 186 voltas 



Fontes: www.speedonline.com.br e Revista Quatro Rodas, nº 344, Março de 1989, páginas 114 - 115

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Som para o momento: Elvis Presley - Bridge Over Troubled Water

Bem, nada melhor do que começar as atividades de 2013 com uma bela música. Então, lá vai Bridge Over Trouble Water, do rei Elvis Presley. Particularmente gosto muito dessa música, pois sua letra fala o que muitas vezes nós esquecemos, de quando estamos em situações complicadas, onde não raro a resolução não depende somente dos nossos próprios esforços, temos que lembrar que não estamos sozinhos. Sempre há alguém ao nosso lado, seja visível ou não aos nossos olhos. Para aqueles que acreditam em Deus, é estar seguro na sua bondade e justiça. Para aqueles que não acreditam, é confiar na sabedoria da vida. 

Um ótimo 2013 para todos os blogueiros que visitam esse espaço, um tanto quanto  simples, mas feito com muito amor e respeito ao automobilismo!

video

Ps: Não consegui adicionar este vídeo diretamente do youtube, mas o link para o acesso é este.