"Um espaço reservado para falar das lembranças, histórias e episódios dos mais de 50 anos de Mil Milhas Brasileiras. E de outras coisas mais!"

sábado, 30 de maio de 2015

Omega V8 da Equipe Katalogo Racing na Mil Milhas de 2006

A 34ª edição da Mil Milhas, disputada em 21 de janeiro de 2006, é considerada por muitos como o início do fim. Isto porque essa edição marca o início da fracassada tentativa de internacionalização da prova, que tinha por objetivo transformá-la em um evento aos moldes do que hoje é a prova 6 Horas de Interlagos, a qual faz parte do calendário do WEC. Infelizmente as projeções não se concretizaram, e o que se verificou foi somente o afastamento das pequenas equipes, que mantinham a tradição da prova. Mas o presente post não tem o objetivo de discutir erros e acertos no planejamento da prova, e sim, a participação do Omega como motor V8 da Stock Car, que foi pilotado por Fernando e Fernanda Parra.

O bólido em questão foi preparado pela equipe Katalogo Racing, que na época disputava a Stock Car V8, e a pilotagem ficou por conta de Fernando e Fernanda Parra, neste caso, pai e filha. O grande diferencial deste Omega para os demais, tradicionais participantes da prova desde 1993, era o motor 8 cilindros - com cerca de 450 cv - derivado da Stock Car. A aposta levou em conta aspectos como resistência e a potência maior deste motor, em comparação ao tradicional 6 cilindros. Inscrito na categoria STC, o Omega largou na 20ª posição do grid, com o tempo de 1min46s719. Cabe ressaltar que na categoria STC, esse tempo lhe garantiu o 2º lugar, atrás somente do Alfa Romeo 156 do trio Uberto Molo/Cláudio Capparelli/Istvan Minach, e à frente da BMW M3 da equipe Eurobike.
Na prova, o resultado foi o 13º lugar na classificação geral, com 304 voltas completadas, e o 2º lugar na categoria, 5 volta atrás do Alfa Romeo 156. Cabe ressaltar que nas primeiras horas da disputa, o Omega chegou a ocupar a liderança na categoria. Entretanto, problemas nos faróis e uma parada prolongada fizeram com que pai e filha perdessem a ponta. E ainda, o bólido chegou ao final da corrida sem direção hidráulica!





sábado, 16 de maio de 2015

Nomes que fizeram/fazem a Stock Car VII: Nonô Figueiredo


No início dos anos 2000 ele foi um babysauro, numa turma que tinha David Muffato, Alceu Feldmann, Cacá Bueno e Beto Giorgi. Nos últimos anos, ele já era o dinossauro com maior número de corridas na Stock. Trata-se do grande piloto Flávio Nonô Figueiredo, que anunciou sua despedida dos cockpits da Stock no final da temporada passada.

Nonô estreou na Stock no ano 2000, temporada em que a bolha do Chevrolet Vectra também fazia sua estréia. Mas 6 anos antes, ele já tinha iniciado sua ligação com a Stock, ao levar o título da categoria Light. No ano de estreia na divisão principal, conquistou seu primeiro pódio, na etapa disputada no Rio de Janeiro. A primeira vitória veio na temporada 2001, e teve como palco o Autódromo de Interlagos (3ª etapa da temporada). 2001 também foi o ano em que Nonô teve melhor colocação no campeonato, ao terminar no 5º lugar, com 137 pontos marcados, sendo que desempenho semelhante somente foi alcançado na temporada 2010, quando terminou na 6ª colocação (essa também foi sua única classificação para o play-off, sistema abolido em 2012). Cabe ressaltar que 2010 foi o ano de sua última vitória (após 07 anos da vitória em Londrina), conquistada no Autódromo Orlando Moura, em Campo Grande.

Dados da carreira de Flávio Pagano Figueiredo, o Nonô:

Vitórias: 03 (Interlagos/2001, Londrina/2003 e Campo Grande/2010) na Stock V8 e 07 na Stock Light (todas em 1994)
Pódios: 14
Volta mais rápida: 04 (Tarumã/2007, Rio de Janeiro/2008, Campo Grande/2010 e Santa Cruz do Sul/2014)
Corridas disputadas: 187 na Stock principal e 14* na Stock Light.
Equipes: Scuderia 111, Avallone Motorsport, RS Competições, Officer Motorsport e Mobil Racing (antiga AMG Motorsport).

*O número de corridas na Stock Light é controverso. Isto porque não foram encontrados os resultados da 1ª, 7ª e 10ª etapa da temporada de 1994. Entretanto, o número total de corridas divulgado pela mídia é de 201 corridas, o qual corresponde com a soma das corridas das duas categorias.


2000 - o ano da estreia
Liderando o pelotão em Curitiba, 2001
Goiânia - 2001
2003

Escapou!
Curitiba - 2010
1994 - Ano da conquista do título na Light (ou categoria B, como era chamada na época)

sábado, 2 de maio de 2015

Miniatura Fiat Coupe 1:64 (Kyosho)


Hoje posto as fotos de uma das miniaturas que mais busquei para minha coleção. Aliás, essa busca durou cerca de cinco anos. Trata-se de um Fiat Coupe, um dos carros que fez parte do imaginário automotivo da minha infância, e que, se um dia eu tiver condiçõe$ para tanto, certamente terei um em minha garagem, para os passeios de fim de semana.

A miniatura em questão foi fabricada pela japonesa Kyosho, na escala 1:64. Mas pesar da pequena escala, possui belo acabamento, com vários detalhes - inclusive a tradicional inscrição "Pininfarina" na parte inferior da lateral -, pneus de borracha e interior bem fiel ao original.

Há alguns meses encontrei uma oferta semelhante, na cor prata, só que o anúncio nem chegou a "esquentar o canto", pois o carrinho foi logo vendido. Também não poderia ser diferente! Desde então, sempre vinha pesquisando novas ofertas, até que encontrei essa e comprei sem pestanejar. Se o preço foi em conta? Rrsrsrss, o amor pelos carros justifica tudo!