"Um espaço reservado para falar das lembranças, histórias e episódios dos mais de 50 anos de Mil Milhas Brasileiras. E de outras coisas mais!"

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Bobby Pierce e o show na Nascar Truck no oval de terra (Eldora)


Apesar do certo atraso, seria um desperdício não tecer comentários acerca da prova disputada na noite da última quarta - feira pela categoria Camping World Truck Series da Nascar, a popular "divisão das caminhonetes".

Desde 2013, a Nascar promove uma espécie de volta às origens no mês de julho, ao disputar a CarCash Mudsummer Classic, etapa realizada no Eldora Speedway, oval de terra com meia milha de extensão (0.804 km) localizado no Estado de Ohio, EUA, que foi inaugurado em 1954, e desde 2004 pertence ao tricampeão da Nascar Tony Stewart. A corrida em si tem peculiaridades, como a divisão em blocos de 60, 50 e 40 voltas, mas a pista de terra é a maior elas, o que permite um show de derrapagens e diversos toques (mais ainda do que os habituais nos ovais pavimentados). Mas na etapa desse ano, apesar da vitória de Christopher Bell, pela equipe de Kyle Busch, o grande nome foi, sem dúvida alguma, Bobby Pierce, piloto de 18 anos.

Primeiro porque essa prova marcou a sua estreia na categoria, depois de correr por alguns anos nas categorias Dirty Late Model (carros com carenagens um tanto quanto esquisitas, que disputam provas em ovais de terra). A estreia já começou muito bem, haja vista que logo de início Pierce conquistou a pole. Durante a prova, chegou a liderar 39 voltas das 154 completadas (houve prorrogação de 04 voltas por conta de um acidente ocorrido nas últimas voltas, o que é previsto no regulamento da categoria). Mas o espetáculo mesmo foi dado nas últimas 15 voltas, quando Pierce deu um toque no muro da curva 04, fazendo com que sua pick-up Chevrolet nº 63 ficasse bastante avariada na caçamba, ou melhor, bem torta mesmo! Mesmo assim, o jovem estreante continuou sua caça ao líder, se posicionando bem perto deste, ao ponto de dar várias atravessadas buscando o traçado alternativo, na intenção de dar um bote final nas últimas curvas. E por muito pouco ele não conseguiu isso. É claro, todos nós sabemos que num oval pavimentado, onde a aerodinâmica tem influência muito maior no desempenho, ele não teria conseguido manter a performance e, consequentemente, a 2ª posição. Mas, considerando que o garoto era um estreante, é de se parabenizar o seu apetite em correr e alcançar um bom resultado, correndo como um verdadeiro veterano. Se Bobby Pierce se manter na categoria e disputar as provas restantes dessa temporada, com certeza é um nome a ser observado.

Enfim, nos anos de 2012 e 2013, acompanhei às corridas da Nascar Truck com mais frequência, por conta das participações de Nelsinho Piquet e Miguel Paludo. Confesso que de fato uma corrida realizada em um oval é tanto quanto esquisita, para muitos entediante. Principalmente nos ovais curtos, onde a impressão é de que os carros estão andando o tempo inteiro em curvas. Confesso que não tenho muito ânimo em assistir corridas disputadas em pistas como Bristol, Iowa, Phoenix, entre outros. Mas o automobilismo americano tem seu charme e encanto próprios, principalmente nos ovais mais longos, como Daytona, Indianápolis e Talladega, e assim desperta nosso interesse. Portanto, vale a pena assistir a reta final da temporada da Indy e esperar pelo chase da Nascar.

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Um passeio pela história da Fórmula Truck


Uma das categorias que mais admiro no automobilismo mundial é a nossa Fórmula Truck, a qual considero um exemplo de gestão no automobilismo. Primeiramente pelas mãos do saudoso Aurélio Batista Félix, que com sua determinação e ousadia, pôs em prática o antigo sonho de ter uma categoria somente de caminhões, com várias marcas competindo entre si, de forma equalizada. Após o seu falecimento, em março de 2008, sua viúva, D. Neusa Navarro Félix, junto com seus seus filhos, Juninho e Gabi, não deixou que um empreendimento tão importante caísse em decadência, e muito pelo contrário, o que se viu de 2008 para cá foi somente o crescimento da categoria. Com suas dificuldades claro, inerentes a qualquer projeto desta natureza, mas sempre buscando a competitividade, tendo como guia a lisura e equidade entre os envolvidos. 

E não é só em torno de si mesma que a Fórmula Truck produz resultados. Cabe lembrar que há um bom tempo a categoria é conhecida pelo trato que confere aos autódromos brasileiros, os quais tradicionalmente não recebem o tratamento devido das autoridades responsáveis. Posso dizer, sem correr o risco de parecer injusto que, em grande parte, é graças à Fórmula Truck que o nosso querido Autódromo de Caruaru se mantém em funcionamento, dando um grande apoio ao automobilismo do norte-nordeste.

Enfim, sem me alongar muito, este post é dedicado a um verdadeiro passeio pela história fotográfica da Fórmula Truck, de forma a relembrarmos grandes nomes e fatos históricos destes 20 anos de história. Digo 20 anos porque 1995 foi o ano em que a categoria fez suas primeiras etapas de exibição, mais especificamente nos autódromos de Cascavel, Goiânia, Londrina e Tarumã.

Vamos lá:

Evento teste da Truck em Cascavel, 1987
Reportagem sobre a 1ª prova de exibição, em Cascavel
Exibição em Cascavel
Renato Martins em 1998

Grid em meados de 2000
Flávio Trindade em 2001

Prova em 1996
Wellington Cirino em 2000
Djalma Fogaça
Eduardo "Macarrão" Fráguas, em Curitiba, 1996
Macarrão durante exibição no ano de 1995
Mad Macarrão!
Um dos momentos mais tensos da história da Truck: com o caminhão sem freios e em chamas, Macarrão salta do bólido e deixa o caminhão perder velocidade até bater na barreira de pneus do S do Senna, em 2003. Mais herói, impossível!!




Drugovich, em foto de 1998. Posteriormente, este caminhão foi vendido a Roberval Andrade, que estreou na categoria em 2000.
Osvaldo Drugovich Jr., em 1996, a bordo de uma dos caminhões mais bonitos da história da categoria 
Sérgio Drugovich Jr., seguido de perto por Renato Martins, em 1996
Após a inversão de posições





Vinícius Ramires em 2006
Leandro Reis, pole em 2012







Roberval Andrade, com o Scania pintado com as cores do maior time do mundo!!


Felipe Giaffone comemorando a 1ª vitória do caminhão MAN

Jorge Fleck
Djalma Fogaça em Cascavel
Jorge Fleck

Raio X do caminhão de Wellington Cirino, campeão de 2001 - Revista Quatro Rodas, edição de janeiro de 2002.

Drugovich puxando o grid
Exibição em Cascavel, 1995