"Um espaço reservado para falar das lembranças, histórias e episódios dos mais de 60 anos de Mil Milhas Brasileiras. E de outras coisas mais!"

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Caetano Damiani










(Fotos de Sérgio Jorge)



O paulista Caetano Damiani, respeitado piloto de carretera e mecânico do fim dos anos 50 e 60, foi durante vários anos um sério candidato á vitória na Mil Milhas de Interlagos.

Sempre preparando seus próprios carros, Damiani estreou na prova no ano de 1957, em dupla com Edmundo "Dinho" Bonotti na carretera nº68 feita a partir de um Ford 1934 4.0 V8. Na prova, não foram além da 27ª colocação completando 141 voltas, devido a um problema no motor.

No ano seguinte, formou dupla com Ivo Rizzardi em sua carretera Chevrolet V8 4.5, chegando ao 5º lugar após completar 185 voltas. Em 1959, refez a parceria com Ivo Rizzardi, pilotando a carret era com a qual Djalma Pezzolato se acidentou, vindo a falecer, durante a Mil Milhas de 1957. Essa carretera sofreria ainda outro capotamento antes de chegar ás mãos de Damiani. Mesmo assim, Rizzardi a comprou e Caetano cuidaria da reforma. Reforma esta que incluiu até a troca do chassis. Na Mil Milhas, terminaram na 6ª posição, com 192 voltas completadas. Uma curiosidade dessa prova foi que Caetano chegou a perder uma das rodas no momento em que contornava a curva 3, ficando parado por várias voltas aguardando o socorro dos boxes.

Ausente na disputa de 1960, voltou à prova em 1961, novamente em dupla com Ivo Rizzardi. Alcançaram a 5ª posição na classificação geral, e o 3º lugar na categoria Turismo Força Livre.

O ano de 1965 marcaria sua melhor colocação na prova, com o 2º lugar obtido. Á bordo da temida carretera Chevrolet Corvette azul claro e branco com motor V8 4.5 importado da Califórnia, formou dupla com o Romeno Bica Votnamis, chegando inclusive a liderar a prova. Porém, a quebra da embreagem fez com que a dupla perdesse 3 voltas, caindo para a 4ª colocação. Mas retornaram à disputa apenas com a 4ª marcha num forte ritmo de corrida. Caetano afirmou que se a corrida tivesse mais umas 2 voltas, teria ganho a disputa.

Em 1966, fez sua última participação na Mil Milhas, correndo novamente em dupla com Bica Votnamis. Caetano já havia decidido parar de correr, tanto que já tinha até vendido sua carretera nº 34 para o piloto Justino de Maio. Mas Bica o convenceu de correr, á bordo de uma carretera derivada de um Oldsmobille "Ninety-Eight". Do carro, foram aproveitados o chassis e o diferencial, sendo adotado motor Corvette V8. Não terminaram a prova, devido à quebra da caixa de direção.

Por convite de Bica, ainda tentou correr a prova em 1967. Porém o carro que utilizariam - um protótipo esquisito chamado de "Caçador de Estrelas", que tinha coluna de direção na posição vertical, com piloto sentado á frente do eixo dianteiro e o motor Corvette instalado atrás do banco - não foi homologado pela direção de prova, impossibilitando a participação na prova.

Fontes:

www.bandeiraquadriculada.com.br (Paulo Roberto Peralta)
//luizpereirabueno.blogspot.com (Luiz Pereira Bueno - In Memorian)