"Um espaço reservado para falar das lembranças, histórias e episódios dos mais de 60 anos de Mil Milhas Brasileiras. E de outras coisas mais!"

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

O reinado Porsche













Ao vencer a edição de 1993 à bordo de um Porsche 911 Carrera RS, o trio Antônio Hermann/Franz Konrad/Franz Prangemeier deu início a um verdadeiro domínio da marca alemã na prova. Nas 12 edições seguintes (1993 - 2005), foram nada menos que 7 vitórias e 4 segundos lugares conquistados por modelos Porsche:

1993 - Antônio Hermann/Franz Konrad/Franz Prangemeier - Porsche 911 Carrera RS Nº 4
1994 - Wilson Fittipaldi Jr./Christian Fittipaldi - Porsche 911 GT Le Mans Nº 7
1995 - Antônio Hermann/Franz Konrad/Wilson Fittipaldi Jr. - Porsche 993 Nº 1
1996 - André Lara Resende/Roberto Aranha/Walter Salles Jr./Roberto Keller - Porsche 911 Turbo Nº 3
2001 - Max Wilson/Flávio Trindade/André Lara Resende/Régis Schuch - Porsche 911 GT3 Nº 21
2002 - Raul Boesel/Régis Schuch/Flávio Trindade - Porsche 911 GT3 Nº 1
2003 - Ingo Hoffman/Xandy Negrão/Fernando Nabuco/Ricardo Etchenique - Porsche 911 GT3 Nº 9
2008 - Raul Boesel/Max Wilson/Marcel Visconde - Porsche 911 RSR Nº 911

O pioneiro dos DKW's: Karl Iwers




Em se tratando de DKW, é impossível não falar de Karl Iwers. Karl, expoente do automobilismo gaúcho, começou a correr de DKW pelos idos da década de 30 e desde então tornou-se fiel á marca. Foi um dos primeiros pilotos a inscrever um DKW para disputar a Mil Milhas. Na foto, o nº 76 de Karl Iwers passando pela reta dos boxes durante a 2ª edição da prova (1957), sendo seguido pela carretera Ford de Raul Lepper/Francisco Said.

Lista de Inscritos para a 6ª Mil Milhas Brasileiras

Antagônicos



Flagra da Ferrari 512 de Giampiero Moretti/Conrado Manfredini ultrapassando a Carretera Chevrolet Corvette de Alfredo Santili/Antônio Versa. Favorita a vencer a 10ª edição (1970), a machinna rossa teve problemas na injeção de combustível no início da prova, o que acabou com suas chances de vitória. Já a carretera V8 fez sua última participação na prova, chegando na 23ª posição geral.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

O Alemão voador




Em 1998, o Porsche da Equipe Konrad voou baixo pelo traçado de Interlagos. Após largar na pole position (registrando o tempo de 1min40s152), o Porsche 911 pilotado por Antônio Hermann/Gualter Salles/Franz Konrad teve um acidente ainda na terceira volta, o que fez com que ficasse parado por 40 voltas no boxe para reparos. Com a corrida comprometida, os pilotos pisaram fundo, descontando nada menos que 33 voltas em relação ao vencedor da prova, alcançando o 2º lugar na classificação geral.

sábado, 23 de outubro de 2010

Reunião de família



Em 2005, o clã Negrão, formado por Xandy Negrão, Guto Negrão e Xandinho Negrão (na época campeão sul-americano de F3), pilotou, junto com Giuliano Losacco ( Bi-campeão da stock car V8) o Audi TT-R DTM da Equipe Medley. Xandy e Guto já haviam pilotado o bólido na edição de 2004, porém, abandonaram com problemas nos freios. Ainda em 2004, faturaram o campeonato Brasileiro de Endurance. No ano seguinte, a vitória veio após pouco mais de 11 horas de corrida e muita chuva, com 8 voltas de vantagem para o segundo colocado.

domingo, 12 de setembro de 2010

Quebrando a Hegemonia




A 13ª edição da Mil Milhas realizada em janeiro de 1983 é considerada, no mínimo, inusitada. Esta foi a única edição da década de 1980 em que o vencedor não guiava um modelo stock car. O trio vencedor Fausto Wajchemberg/Vicente Corrêa/Waldir Silva participou da disputa a bordo de um Passat da categoria Hot Car (Antiga Divisão 3). O carro completou as últimas voltas sem freio, além de ter recebido a bandeirada com 1 volta de atraso, do então Secretário de Esportes de São Paulo.

Os treinos classificatórios foram marcados pelo domínio dos Opalas Stock Car, e o que se viu nas voltas iniciais foi a continuação disto. Um grupo de 10 Opalas ditou o ritmo inicial da corrida, porém um a um foi abandonando, até o último que deixou a prova, com pouco mais de 70 voltas. Daí então, o Passat vencedor assumiu a liderança e venceu de forma relativamente tranquila, com 5 voltas de vantagem para o 2º colocado, após largar na 8ª posição.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Coração Valente




Um veterano Porsche 911 T fabricado em 1971 causou surpresa ao vencer a Mil Milhas de Interlagos de 1996. O carro, preparado pelos irmãos Dener e Douglas Pires tinha sido Em 1995, o 911T havia sido terceiro colocado, equipado com um motor aspirado da geração “964”, de 3.6 litros e 330 cv. Para 1996, a dupla foi mais longe. Foi instalado no carro um motor turbo da geração “993” (a mais moderna existente na época) com 3.6 litros e 460 cv. Além do motor mais potente, foram instalados componentes como:

Direção hidráulica
Discos de freios de 15 polegadas
Rodas de cubo rápido
Cãmbio de seis marchas


   
Pilotado por Roberto “Bob” Keller, André Lara, Roberto Aranha e Walter Salles Jr, o Porsche conquistou o 2º lugar no grid de largada, ficando somente atrás de um protótipo AS-Vectra. Assumiu a liderança na primeira volta da corrida e, durante um bom tempo, manteve-se próximo do AS-Vectra, até que este quebrasse. Daí em diante, liderou até a bandeirada, ao fim de 372 voltas completadas.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

As 5 vitórias de Zeca Giaffone










Ele pode ser chamado de "Senhor Mil Milhas". José Próspero Giaffone, ou Zeca Giaffone, Foi campeão em cinco oportunidades da disputa:

1981 - Chevrolet Opala Stock Car Nº 6 Zeca Giaffone, Afonso Giaffone Jr. e Chico Serra
1984 - Chevrolet Opala Stock Car Nº 12 Zeca Giaffone, Maurizio Sala e Reinaldo Campello
1986 - Chevrolet Opala Stock Car Nº 31 Zeca Giaffone e Walter Travaglini
1988 - Chevrolet Opala Stock Car Nº 31 Zeca Giaffone e Luís Alberto Pereira
1989 - Chevrolet Opala Stock Car Nº 01 Zeca Giaffone e Walter Travaglini

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Dobradinha da Willys




Na edição de 1967, a Equipe Willys, comandada pelo saudoso Luís Antônio Grecco, fez "1-2". A dobradinha foi liderada pela dupla Luiz Pereira Bueno e Luiz Terra Schimdt, seguidos pela dupla Bird Clemente e Marivaldo Fernandes. Ambas as duplas disputaram a prova á bordo do Interlagos Mark One (Carros 21 e 22, respectivamente), e para espanto de todos, não realizaram trocas de pneus durante toda a prova.

Foto retirada do site http://www.anisiocampos.com/his.html

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Quatro vezes terceiro lugar








Post dedicado ao piloto de Stock Car e Divisão 3, Camilo Christófaro Jr. Camilinho, filho do saudoso Camilo Christófaro, alcançou a terceira posição na classificação geral da Mil Milhas em 4 ocasiões. Na última delas (1989), formou trio com o pai (última participação do "Lobo" na prova) e com Américo Bertini, o "Dedinho".

1983 - Chevrolet Opala Nº 18
Camilo Christófaro Jr, José Munhoz e Américo Bertini
1984 - Chevrolet Opala Nº 18 Camilo Christófaro Jr, José Bel Camilo e Américo Bertini
1985 - Chevrolet Opala Nº 18 Camilo Christófaro Jr, Américo Bertini e Neimer Helal
1989 - Chevrolet Opala Nº 18 Camilo Christófaro, Camilo Christófaro Jr e Américo Bertini

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Pé embaixo...e pedal também




Quando pedal da direita trava, salve-se quem puder. E foi assim com Ailton Varanda, na Mil Milhas de 1967. Por volta das 2 horas da manhã, Ailton passou reto com o Karmann Ghia na saída da curva da ferradura, bateu em um dos inúmeros "morrinhos" do antigo Interlagos e capotou por duas vezes, até parar na posição normal. A causa do acidente foi o pedal do acelerador do Karmann, que colou no fundo sem dar tempo de reação ao piloto.

sábado, 7 de agosto de 2010

Fusqueta na ativa



1998 - Speed 1600 pilotado por Zarrir Adebe Jr. e Edson Vicencoto. O valente VW terminou a disputa em 15º, após 285 voltas.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Amanhecer em Interlagos - 1998



Um protótipo "made in Brazil" desbancou os favoritos Porsche em 1998. Pilotado por André Grillo, Tom Stefani e Júlio Fernandes, o protótipo AS Vectra venceu a disputa ocorrida em 20 de dezembro de 1998 com 7 voltas de vantagem para o pole-position, o Porsche nº 1 pilotado na ocasião por Gualter Salles/Franz Konrad/Antônio Hermann.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

DKW no retão de Interlagos



O fim do retão - Foto da prova de 1965. Em destaque, o DKW de Charles Marzanasco e Osório Araújo descendo o antigo retão de Interlagos para contornar a curva 3.

sábado, 24 de abril de 2010

Carlão e Zeca Salsicha




Flagra de uma das paradas nos boxes do Opala Hot Car conduzido por Carlos "Carlão" Alves e José Carlos Dias, conhecido como Zeca Salsicha. A dupla venceu a disputa daquele ano (1990) com 3 voltas de vantagem sobre a dupla Chico Serra/Luiz Alberto Pereira.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Protótipo Marcílio



Mais um resultado da criatividade do automobilismo brasileiro: O Protótipo Marcílio. Nelson Marcílio, veterano da época das carreteras - e pai de Flávio Marcilio, piloto da extinta pick-up racing - instalou num Karmann Ghia um motor V8 de Ford Galaxie para a disputa da décima edição da Mil Milhas de Interlagos, em 1970. Marcílio fez dupla com Juan Gimenez, e terminou na 28ª posição na geral.

segunda-feira, 15 de março de 2010

Incêndio no Opala







Flagra do incêndio ocorrido no Opala Força Livre de Dimas de Melo Pimenta, em 1989. Dimas fazendo dupla com Walter "Tucano" Barchi, largou na ponta e manteve-se durante a primeira hora. Porém no reabastecimento, houve um incêndio, onde o mecânico José Domingos sofreu queimaduras de 1º grau da cintura pra cima.

domingo, 7 de março de 2010

Largada "Le Mans"


Foto da prova de 1960. Piloto de um lado, carro do outro lado da pista. No estilo "Le Mans, assim era feita dada a largada da Mil Milhas antigamente. O formato, no entanto, seria abolido por questões de segurança.

O salvador da honra dos Opalas em 1983


Interlagos, 1983. 13ª edição da tradicional Mil Milhas. Naquele ano, os favoritos à vitória eram os badalados Opalas Stock-Car, pilotados por grandes nomes como Afonso Giaffone Jr., Luiz Alberto Pereira, Alencar Jr., entre outros. O ritmo no início de prova foi forte, sendo que um grupo de 10 Opalas ditaria a tocada inicial. Porém, não resistiriam ao ritmo forte, e o último deles quebrou com cerca de 70 voltas completadas.

Daí em diante, o caminho ficou livre para o Passat Hot-car guiado pelo trio Vicente Correa/Valdir Silva/Fausto Wajchenberg, que venceu com 4 voltas de vantagem para o Opala da foto, pilotado por Luiz Ewandro Águia/Dedé Gomes/Mike Mercede. Coube à esse Stock salvar a honra dos Opalas!

sábado, 6 de março de 2010

A última Mil Milhas de Camillo Christófaro



A última Mil Milhas realizada no traçado antigo de Interlagos, em 1989, também representou a última participação de Camilo Christófaro, o lobo do Canindé na prova. Camillo, na ocasião com 61 anos, correu junto com seu filho, Camilinho e com Américo Bertini. O trio pilotou um Opala Força Livre, que tinha câmbio Corvette e era equipado com motor de cerca de 300 cv. Chegaram a liderar durante a madrugada, até que um pneu estourou, arrebentando tubulações de óleo. Por fim, terminaram a disputa em terceiro na geral e 1º na categoria Força Livre Nacional.

Foto: Jorge Meditsch

sexta-feira, 5 de março de 2010

O Fitti-Porsche


O grande favorito para a Mil Milhas de 1967 com certeza era ele. Depois de marcar a pole position no treino (além de quebrar o recorde de tempo de volta em interlagos por mais de uma vez), o Fitti-Porsche acabou decepcionando.Wilsinho conduziu o carro na largada e liderou por algumas voltas, quando houve um principio de incêndio, levando-o ao boxes, e por fim, um vazamento de combustível decretou o fim da jornada.

E a BMW M3 virou fumaça!


Flagra do momento em que o motor do BMW M3 estoura, deixando o Tricampeão de F1 Nelson Piquet e o Campeoníssimo Ingo Hoffmann a pé, em 1995. Aquela Mil Milhas marcou o bicampeonato de Wilsinho Fittipaldi, que venceu a prova pilotando um Porsche 993.

segunda-feira, 1 de março de 2010

Opala V8 Guido Borlenghi/Racequip/Delgado's







E atendendo ao pedido do amigo Paulo, aí vai uma foto do Opalão V8 do Guido Borlenghi. Carro com muita história, já correu na arrancada, circuito e algumas Mil Milhas. Na última participação, em 2005, deu apenas 5 voltas.

Trata-se de um Opala ano 1983, que inicialmente corria com o seis canecos Chevrolet preparado, até que em 1995, o motor original deu lugar a um V8 5.9 utilizado na Nascar, com 600 cv e 55 kgfm de toque. Em 1996, o Opala alcançou a marca de 274,60 km/h de média (ida e volta), obtida na pista do aeroporto de São José dos Campos, pelo proprietário Guido Borlenghi. Essa marca foi a primeira do ranking brasileiro de velocidade por 6 anos, e até hoje está entre as 10 melhores da história. A força do V8 era tão grande, que o carro chegava a arrastar pneus por quase 500 metros.

Ficha técnica:

Motor: 8 cilindros em V, 5.9, 2 válvulas/cilindro, OHV
Alimentação: Carburador Quadrijet 875 cfm, avgás (gasolina de aviação)
Potência: 600 cv a 6.800 rpm
Torque: 55 kgfm a 5.000 rpm
Transmissão: Manual, 4 marchas, tração traseira
Freios: Discos ventilados (Dianteiros e Traseiros)
Pneus: 24x11 aro 15
Rodas: aro 15", alumínio
Escapamento: 2 coletores 4x1, com saídas laterais, sem abafadores ou silenciadores
Tanque de Combustível: 100 litros (dura cerca de 1 hora e 30 minutos de corrida)

Algumas participações em Mil Milhas:

1998: Chevrolet Opala Nº 16 Guido Borlenghi, Marco Antonio, Carlos Henrique Castrale e Arquimedes Delgado - 16º na geral - 282 voltas
1999 a 2002: Não correu
2003: Chevrolet Opala Nº 98 Guido Borlenghi e Arquimedes Delgado - 16º na geral e 3º na categoria 2 - 294 voltas
2004: Chevrolet Opala Nº 98 Guido Borlenghi, Jonatas Borlenghi e Arquimedes Delgado - 11º na geral e 2º na categoria 2 (316 voltas)
2005: Chevrolet Opala Nº 98 Guido Borlenghi, Jonatas Borlenghi e Arquimedes Delgado - 57º na geral - 5 voltas

Médias de velocidade em São José dos Campos:

1996: 274,60 km/h - 1º lugar
2003: 257,8 km/h (máxima de 272 km/h) - 7º lugar
2006 e 2009: Não participou ( o carro foi aposentado após a Mil Milhas de 2005)