"Um espaço reservado para falar das lembranças, histórias e episódios dos mais de 60 anos de Mil Milhas Brasileiras. E de outras coisas mais!"

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

O Fiat 147 nas Mil Milhas Brasileiras










Amado por uns, odiado por outros, esse é Fiat 147. O primeiro modelo fabricado pela Fiat no Brasil, isto em 1976, coleciona muitos fãs e inimigos ao mesmo tempo. Nas Mil Milhas Brasileiras, o carro teve estréia tardia, já que na década de 70, a última edição da prova foi disputada em 1973, 3 anos antes do lançamento do carro. Portanto, a estréia só pode realizar-se em 1981, no retorno da prova ao calendário nacional.

Naquela edição, o maior destaque da marca ficou por conta do 13º lugar do trio Emílio Camanzi, Charles Marzanasco Filho e Paulo Mafra, com o Fiat nº 59 (com a conhecida frente Europa), preparado sob regulamento da Divisão 1. Na prova seguinte, realizada em 1983, o desempenho foi melhor, já que um modelo da marca alcançou o 8º lugar na classificação geral. O carro em questão foi o Spazio nº 48 de Atilla Sipos, José “Coelho” Romano e Hélio Matheus.

Para a prova de 1984, foram inscritos carros bem preparados, pilotados por nomes famosos como: Toninho da Matta, Atilla Sippos e Egon Herzfeldt. O resultado foi nada menos do que 4 modelos da linha entre os 10 primeiros colocados, sendo que na frente dos Fiat, só os grandes e potentes Opalas da Stock Car. Os Fiat's melhores colocados foram:

 
5o Fiat Spazio Nº 26 José David e Sílvio Zambello SP – 193 voltas
6o Fiat Oggi Nº 64 Egon Herzfeldt e Atilla Sipos RS/SP – 193 voltas
7o Fiat Spazio Nº 71 Cláudio Girotto, Giussepe Marinelli e Toninho da Matta SP/SP/MG – 192 voltas
10o Fiat Spazio Nº 54 Walter Travaglini e René Lofti SP – 190 voltas

Em 1985, apenas um Fiat da linha 147 terminou a prova entre os 10 primeiros colocados. Pilotado por José David, José "Coelho" Romano e Marcelo Rebizzi, o Spazio nº 26 alcançou a 10º posição na classificação geral, com 181 voltas completadas. Neste ano, houve a estréia de seu sucessor, o Uno, o que diminuiria a presença do 147 nas pistas.

A última vez em que um Fiat 147 (seja ele frente alta, Europa ou Spazio) alcançou uma boa posição na classificação geral foi em 1988, com o 8º lugar do Fiat Oggi de Carlos Teixeira, Irineu Gabriel e Francisco Gabriel, após 186 voltas completadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário