"Um espaço reservado para falar das lembranças, histórias e episódios dos mais de 60 anos de Mil Milhas Brasileiras. E de outras coisas mais!"

terça-feira, 21 de outubro de 2014

As Mil Milhas Brasileiras de 1997



Com o fiasco da prova de 1996, que foi realizada no mês de abril, logo após o GP de F1, a organização da Mil Milhas buscou dar um novo gás à prova. Tendo em vista que a data tradicional da prova (mês de janeiro) não estava mais sendo liberada – em virtude das obras necessárias para a etapa da F1 – a alternativa foi levar a prova para outra praça, neste caso, o Autódromo Internacional Nelson Piquet, na Capital Federal.

A prova foi realizada no dia 19 de janeiro, e teve um grid fraco para os padrões históricos – apenas 25 carros participaram. Em suma, o grid foi formado por competidores tradicionais, como Opalas, Omegas, Corsas e protótipos variados (Aldee RTT, AS-Vectra e Espron). Mas, evidentemente, os bólidos mais fortes eram o Porsche 911 GT2 da equipe Stuttgart e o McLaren F1 BMW de Nelson Piquet (Team Bigazzi).

A pilotagem do modelo alemão – impulsionado por motor 3.6 Boxer seis cilindros biturbo de 480 cavalos – ficou por conta do trio André Lara Resende (vencedor em 1996 e 2001), Maurizio Sala (vencedor em 1984) e Régis Schuch (vencedor em 2001 e 2002). Quanto ao McLaren, que foi pilotado pelo trio Piquet, Jhonny Cecotto (VEN) e Steve Soper (ING), basta lembrar que era o carro mais rápido (até 2005) e mais caro do mundo na época, com motor BMW V12 de 670 cavalos, câmbio de 6 marchas e aerodinâmica e estabilidade suficientes para torná-lo um foguete tanto nas retas quanto nas curvas.

Não foi surpresa quando o trio Nelson/Cecotto/Soper conquistou a posição de honra no grid de largada (pelas mãos de Nelson Piquet). A prova foi um verdadeiro passeio para Piquet & Cia, que não tiveram problemas nas mais de 10 horas de corrida (a largada foi dada às 09:30 da manhã), vencendo-a com a impressionante vantagem de 21 voltas para o Porsche, registrando também a melhor média de velocidade da prova até então (159,587 km/h).

Os 10 melhores colocados:

1º McLaren GTR BMW N° 1 Nelson Piquet, Jhonny Cecotto e Steve Soper DF/VEN/ING – 294 voltas
2º Porsche 911 André Lara Resende, Régis Schuch e Maurizio Sala – 273 voltas
3º AS Vectra Athos Diniz, Vitor Meira e Alex Bachega – 260 voltas
4o Aldee RTT Laércio Justino, Ananias Justino e Maurício Veiga GO – 254 voltas
5o Aldee RTT Ricardo Heráclio e Amadeu Barbosa DF – 252 voltas
6o VW Voyage/Japamóvel João Noboru Mitta, Beto Borghesi e José Ricardo PR – 250 voltas
7o Aldee RTT Frederico Fungaro Júnior e Gilberto Gaspar DF – 247 voltas
8o Aldee RTT Nº 9 Suzane Carvalho e Delfina Frers (BRA-RJ e ARG) – 247 voltas
9o Protótipo Berga/VW José Parra e Márcio Sciola SP – 238 voltas
10o Aldee RTT Juscelino Sarkis, Lairton Miranda e Rossini Silva PR – 237 voltas

Outros carros:

15º BMW 320i nº 5 Luiz Caland e Luiz Felipe Calmon
19º - Espron BMW nº 19 Ruyter Pacheco, Leo Faleiro e Sandro Ferrari
21º - BMW 320i nº4 Renato Constantino e Gustavo Mendes
Corvette ZR1 6.0 – Dimas de Melo Pimenta Filho, Rodrigo Pimenta e Dimas de Melo Pimenta III – 27 voltas (quebra da transmissão).


O pelotão formado por Aldee RTT, Opala, Omega e Corsa


Porsche da Equipe Stuttgart - Foto do arquivo de Ivo Snelwar

Detalhe do McLaren F1 BMW de Piquet & Cia.

Aldee da dupla feminina Suzane Carvalho e Delfina Frers


Nenhum comentário:

Postar um comentário