"Um espaço reservado para falar das lembranças, histórias e episódios dos mais de 60 anos de Mil Milhas Brasileiras. E de outras coisas mais!"

sábado, 7 de abril de 2012

A Legião Estrangeira em 1994


A 23ª edição das Mil Milhas Brasileiras, realizada em 1994, foi histórica. Desde a forte divulgação na imprensa que há muitos anos não acontecia, passando pelo grid composto por diversos pilotos de alto nível e experiência internacional, os carros que disputaram a prova formaram um capítulo à parte. Nesta postagem, vou me limitar a falar somente dos bólidos importados que disputaram a prova. Uma abordagem mais detalhada sobre a 23ª edição ficará como promessa para a próxima postagem.

Com a atração de equipes e pilotos estrageiros para a disputa da prova, era natural e óbvio que o nível dos bólidos também aumentasse. Entre as feras estrangeiras que dividiram as curvas e freadas com os bólidos nacionais (chamados de carroças alguns anos antes pelo então presidente, Fernando Collor), destacaram-se:

Porsche 911 RSR GT Le Mans N° 7 Christian Fittipaldi e Wilson Fittipaldi Jr (carro equipado com motor 3.8 de 420 hp, vencedor das 24 Horas de Spa em 1993). Largou na pole position

Porsche 911T RSR N° 1 Carrera Antonio Hermann, Franz Konrad e Mikael Gustavson (3.8 bi-turbo, capaz de alcançar 540 hp de potência, mas que foi regulado para atingir "apenas" 480 hp, pois não era possível aproveitar toda a potência na pista de Interlagos). Largou na segunda posição

Porsche 911 RSR Carrera Nº 2 Maurizio Sala, Ornulf Wirdheim e André Lara Rezende (3.8 de 380 hp)

Opel Omega 3.0 Nº 72 Andreas Mattheis, Jürgen Weiss e Paulo Júdice(carro preparado pela empresa alemã Irmischer, tinha motor V6, 3.0, 24 v com 415 hp de potência). Largou na terceira posição

BMW M3 Nº 3 Nelson Piquet, Johnny Cecotto e Ingo Hoffmann (motor 3.0 de 350 hp)

BMW 325i Nº 17 André Ribeiro e Walmir Benavides (motor preparado para gerar 310 hp)

BMW 325i Flávio Cabral, Cláudio Gontijo e Maurício Slaviero

BMW M5 Nº 77 Edgar Pereira, David Donohue e Luca Maggorelli (carro que disputava a Copa Supercars americana, tinha motor 3.8 de 450 hp). Largou na sétima posição

Ford Escort RS/Cosworth Nº 8 Klaus Heitkotter, Walter Travaglini e Eduardo Homem de Mello  (carro utilizado em campeonatos de rali na Europa. Tinha motor turbo 2.0i de 440 hp, além de tração integral)

Ford Escort RS/Cosworth Nº 9 Rubens Barrichello, Raul Boesel e Rudger Schmidt. Largou na nona posição

Nissan 300 ZX Denísio Casarini e Fábio Greco (histórias da época diziam que esse carro era na verdade a junção de dois Nissan de rua batidos, dos quais tinha se aproveitado a frente de um a traseira de outro, formando um carro para pista. ainda, dizia-se que durante a montagem, forma encontrados restos humanos em um dos carros, pois quando um deles sofreu o acidente, morreram 3 pessoas e uma delas ficou bastante defigurada, tendo inclusive alguns membros arrancados. Sinistro!)


O desempenho de cada um durante a corrida foi o seguinte:

1º Porsche 911 RSR GT Le Mans N° 7 Christian Fittipaldi e Wilson Fittipaldi Jr. SP – 372 voltas
2º Porsche 911T RSR N° 1 Carrera Antonio Hermann, Franz Konrad e Mikael Gustavson – 368 voltas
3º Porsche 911 RSR Carrera Nº 2 Maurizio Sala, Ornulf Wirdheim e André Lara Rezende – 361 voltas
4º BMW M3 Nº 3 Nelson Piquet, Johnny Cecotto e Ingo Hoffmann – 361 voltas
5º BMW 325i Nº 17 André Ribeiro e Walmir Benavides – 340 voltas
11º Ford Escort RS/Cosworth Nº 8 Klaus Heitkotter, Walter Travaglini e Eduardo Homem de Mello – 319 voltas (terminou a corrida parado nos boxes, com problemas mecânicos)
16º BMW 325i Flávio Cabral, Cláudio Gontijo e Maurício Slaviero – 310 voltas

Não completaram:

Ford Escort RS/Cosworth Nº 9 Rubens Barrichello, Raul Boesel e Rudger Schmidt (abandonou com problemas de câmbio após 79 voltas completadas)

BMW M5 Nº 77 Edgar Pereira, David Donohue e Luca Maggorelli

Opel Omega 3.0 Nº 72 Andreas Mattheis, Jürgen Weiss e Paulo Júdice (abandonou quando ocupava a 4ª posição)

Nissan 300 ZX Denísio Casarini e Fábio Greco











O Porsche de Christian Fittipaldi/Wilsinho Fittipaldi liderou 346 voltas das 372 totais da corrida (Franz Konrad liderou 16 voltas e Piquet esteve na frente por 10 voltas). Ainda foi detentor da melhor volta da corrida, com o tempo de 1’43”438, média de 150,525km/h.

4 comentários:

  1. Na expectativa da promessa da próxima postagem que abordará mais detalhada 23ª edição.

    Estive presente e vi todo o evento.
    E, (muitos risos), fui um personagem de destaque no grid de largada!!!

    Estava fazendo um favor para a empresa em que trabalhava na época (substituindo um promotor de vendas); a "Chapecó" que patrocinou o Christian e o Wilson Fittipaldi; fantasiado de "porco", com direito a fraque e cartola, (novamente muitos risos), fazendo propaganda da empresa.

    Fiz muita bagunça e me diverti bastante, tanto que o artigo da "Folha de São Paulo" sobre a corrida no dia seguinte fez menção sobre minha participação, com destaque no texto (lembro que eles gostaram da corrida, mas "meteram o pau" sobre a desorganização do evento, sobre o inicio de incêndio que ocorreu, as inúmeras pessoas que adentraram as áreas restritas sem autorização, e várias outras falhas...)

    Lembro que cumprimentei diversos pilotos, e tiraram muitas fotos comigo fantasiado; mas até hoje não vi nenhuma, risos.
    Será que vc Ricardo, vai ter alguma???

    Abraço,
    Dioberto

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, hilária essa história cara! Olha, não possuo nenhum registro seu fantasiado, mas como você disse que a folha fez uma reportagem sobre a corrida, vou tentar localizá-la no acervo e posto aqui.

    Abraço!

    Ricardo

    ResponderExcluir
  3. Bom dia,
    Tambem estive presente neste evento, era fiscal de box, e tive o prazer de trabalhar no Box do Chistian e Wilson Fittipaldi,tenho algumas fotos deste dia.Sempre amei automobilismo.Hoje sou piloto de Marcas e Pilotos Paulista.
    Parabens pelo Blog.

    Grande Abraço!!
    Fernando Dias Ribeiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fernando!

      Imagino como deve ser inesquecível a experiência de participar de uma Mil Milhas, ainda mais estando ao lado de feras como o Wilsinho e Christian. Você correu alguma edição?

      Muito obrigado por prestigiar o blog, e boa sorte nas pistas também!

      Um grande Abraço!

      Excluir