"Um espaço reservado para falar das lembranças, histórias e episódios dos mais de 50 anos de Mil Milhas Brasileiras. E de outras coisas mais!"

sábado, 7 de abril de 2012

A Legião Estrangeira em 1994


A 23ª edição das Mil Milhas Brasileiras, realizada em 1994, foi histórica. Desde a forte divulgação na imprensa que há muitos anos não acontecia, passando pelo grid composto por diversos pilotos de alto nível e experiência internacional, os carros que disputaram a prova formaram um capítulo à parte. Nesta postagem, vou me limitar a falar somente dos bólidos importados que disputaram a prova. Uma abordagem mais detalhada sobre a 23ª edição ficará como promessa para a próxima postagem.

Com a atração de equipes e pilotos estrageiros para a disputa da prova, era natural e óbvio que o nível dos bólidos também aumentasse. Entre as feras estrangeiras que dividiram as curvas e freadas com os bólidos nacionais (chamados de carroças alguns anos antes pelo então presidente, Fernando Collor), destacaram-se:

Porsche 911 RSR GT Le Mans N° 7 Christian Fittipaldi e Wilson Fittipaldi Jr (carro equipado com motor 3.8 de 420 hp, vencedor das 24 Horas de Spa em 1993). Largou na pole position

Porsche 911T RSR N° 1 Carrera Antonio Hermann, Franz Konrad e Mikael Gustavson (3.8 bi-turbo, capaz de alcançar 540 hp de potência, mas que foi regulado para atingir "apenas" 480 hp, pois não era possível aproveitar toda a potência na pista de Interlagos). Largou na segunda posição

Porsche 911 RSR Carrera Nº 2 Maurizio Sala, Ornulf Wirdheim e André Lara Rezende (3.8 de 380 hp)

Opel Omega 3.0 Nº 72 Andreas Mattheis, Jürgen Weiss e Paulo Júdice(carro preparado pela empresa alemã Irmischer, tinha motor V6, 3.0, 24 v com 415 hp de potência). Largou na terceira posição

BMW M3 Nº 3 Nelson Piquet, Johnny Cecotto e Ingo Hoffmann (motor 3.0 de 350 hp)

BMW 325i Nº 17 André Ribeiro e Walmir Benavides (motor preparado para gerar 310 hp)

BMW 325i Flávio Cabral, Cláudio Gontijo e Maurício Slaviero

BMW M5 Nº 77 Edgar Pereira, David Donohue e Luca Maggorelli (carro que disputava a Copa Supercars americana, tinha motor 3.8 de 450 hp). Largou na sétima posição

Ford Escort RS/Cosworth Nº 8 Klaus Heitkotter, Walter Travaglini e Eduardo Homem de Mello  (carro utilizado em campeonatos de rali na Europa. Tinha motor turbo 2.0i de 440 hp, além de tração integral)

Ford Escort RS/Cosworth Nº 9 Rubens Barrichello, Raul Boesel e Rudger Schmidt. Largou na nona posição

Nissan 300 ZX Denísio Casarini e Fábio Greco (histórias da época diziam que esse carro era na verdade a junção de dois Nissan de rua batidos, dos quais tinha se aproveitado a frente de um a traseira de outro, formando um carro para pista. ainda, dizia-se que durante a montagem, forma encontrados restos humanos em um dos carros, pois quando um deles sofreu o acidente, morreram 3 pessoas e uma delas ficou bastante defigurada, tendo inclusive alguns membros arrancados. Sinistro!)


O desempenho de cada um durante a corrida foi o seguinte:

1º Porsche 911 RSR GT Le Mans N° 7 Christian Fittipaldi e Wilson Fittipaldi Jr. SP – 372 voltas
2º Porsche 911T RSR N° 1 Carrera Antonio Hermann, Franz Konrad e Mikael Gustavson – 368 voltas
3º Porsche 911 RSR Carrera Nº 2 Maurizio Sala, Ornulf Wirdheim e André Lara Rezende – 361 voltas
4º BMW M3 Nº 3 Nelson Piquet, Johnny Cecotto e Ingo Hoffmann – 361 voltas
5º BMW 325i Nº 17 André Ribeiro e Walmir Benavides – 340 voltas
11º Ford Escort RS/Cosworth Nº 8 Klaus Heitkotter, Walter Travaglini e Eduardo Homem de Mello – 319 voltas (terminou a corrida parado nos boxes, com problemas mecânicos)
16º BMW 325i Flávio Cabral, Cláudio Gontijo e Maurício Slaviero – 310 voltas

Não completaram:

Ford Escort RS/Cosworth Nº 9 Rubens Barrichello, Raul Boesel e Rudger Schmidt (abandonou com problemas de câmbio após 79 voltas completadas)

BMW M5 Nº 77 Edgar Pereira, David Donohue e Luca Maggorelli

Opel Omega 3.0 Nº 72 Andreas Mattheis, Jürgen Weiss e Paulo Júdice (abandonou quando ocupava a 4ª posição)

Nissan 300 ZX Denísio Casarini e Fábio Greco











O Porsche de Christian Fittipaldi/Wilsinho Fittipaldi liderou 346 voltas das 372 totais da corrida (Franz Konrad liderou 16 voltas e Piquet esteve na frente por 10 voltas). Ainda foi detentor da melhor volta da corrida, com o tempo de 1’43”438, média de 150,525km/h.