"Um espaço reservado para falar das lembranças, histórias e episódios dos mais de 50 anos de Mil Milhas Brasileiras. E de outras coisas mais!"

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Série nomes que fizeram/fazem a Stock car VI: Rodrigo Sperafico


Hoje falaremos sobre o piloto Rodrigo Sperafico, que fez carreira em categorias internacionais de monopostos, mas, de volta ao Brasil, estreou na Stock em 2004..

Rodrigo Sperafico: Nascido na cidade paranaense de Toledo, em 23 de julho de 1979, Rodrigo estreou na Stock em 2004, durante a 5ª etapa daquela temporada, disputada no saudoso Autódromo Internacional Nelson Piquet, em Jacarepaguá-RJ. Na ocasião, firmou parceria com a equipe Katalogo Racing, em substituição ao futuro bicampeão da categoria, Ricardo Maurício. Na temporada seguinte, Sperafico passou a correr pela WB Motorsport, de Washington Bezerra, onde teve como melhor resultado o 2º lugar obtido na etapa de Londrina.

Em 2006, mudou novamente de equipe, passando a fazer parte da JF, equipe pertencente a Jorge de Freitas. Nesse ano, repetiu por duas vezes 2º lugar no pódio, nas etapas de Curitiba e Santa Cruz do Sul. Já na temporada 2007, Sperafico muda para a Action Power, de Paulo de Tarso, utilizando a bolha do VW Bora. Essa foi sua melhor temporada na Stock, pois brigou pelo título durante boa parte da temporada, terminando no 2º lugar da tabela de classificação. Além disso, alcançou suas duas primeiras vitórias na categoria, em Curitiba - onde largou na pole e liderou de ponta a ponta - e na veloz pista de Tarumã, onde também liderou de ponta a ponta. Nas temporadas seguintes teve resultados mais discretos, e o 3º lugar em Brasília, no ano de 2008, foi o melhor resultado até 2013. Cabe ressaltar que Rodrigo disputou apenas 03 provas em 2009 e 08 provas em 2010. Em 2011 reeditou a parceria com a JF, e no ano seguinte, passou a correr pela Prati-Donaduzzi, formando dupla com seu irmão gêmeo, Ricardo.

Para a atual temporada, Rodrigo Sperafico não fechou contrato com nenhuma equipe mas, para a corrida de abertura, disputada em Interlagos, foi convidado pelo piloto estreante Felipe Fraga para dividir com ele o volante do Chevrolet Sonic preparado pela tradicional equipe Vogel Motorsport. E o resultado não poderia ter sido melhor: Após Felipe largar na 2ª colocação e ter performance de gente grande, no tempo em que esteve na pista, Sperafico assumiu o volante e passou a ocupar a ponta, posição que manteve até a bandeirada final, mostrando a experiência que possui na categoria.

Dados:

1 vice-campeonato (2007)
03 vitórias (Curitiba e Tarumã em 2007 e Interlagos em 2014)
03 poles (Curitiba, Santa Cruz do Sul e Tarumã em 2007)
05 pódios (o 1º foi conquistado em Londrina/2005)
104 corridas disputadas até o presente momento
Equipes: Katalogo Racing, JF, Action Power, Terra Avallone, RZ Motorsport, RC3 Bassani, Mico's Racing, Prati-Donaduzzi (antiga Micos's) e Vogel Motorsport.


Temporada 2004

Curitiba - 2005

2006
2007
2008

2009

2014

domingo, 14 de dezembro de 2014

Vencedores das Mil Milhas - 2001


De volta a Interlagos, a Mil Milhas de 2001 teve como vencedor o Porsche 911 GT3 da equipe Stuttgart Sportscar, pilotado pelo quarteto Max Wilson/Flávio Trindade/André Lara Resende/Régis Schuch. Mas quem pensar que essa foi uma vitória fácil, dado o histórico do modelo na prova, está enganado. No final da tarde daquele 28 de janeiro de 2001, um temporal desabou por 2 horas e meia sobre a região de Interlagos, causando inundações nas instalações de boxes e cronometragem, além de "lavar" de lama e brita diversos pontos da pista (S do Senna, Junção, entre outros). Ainda, faltou luz no autódromo e o treino de aquecimento foi realizado com 2 horas e meia de atraso.

A largada, marcada para a meia noite, acabou sendo dada às 03h05min do domingo, após muito trabalho para limpar a pista (principalmente na curva Chico Landi) e organizar a casa. O pole, O Porsche nº 21 da equipe Stuttgart, adotou como estratégia não forçar o ritmo nas voltas iniciais, mesmo que isso implicasse na perda de posições. Isto porque a pista ainda estava suja e úmida, o que favorecia rodadas e batidas, que poderiam resultar em acidentes sérios. Mas com o passar do tempo a pista foi melhorando, e com mais aderência, o Porsche mostrou seu poder de fogo e conquistou a liderança, contando também com a quebra de vários concorrentes direitos (Piquet, Kanaan, Vitor Meira).

Quando os relógios marcavam 15 horas e 05 minutos do domingo, o Porsche cruzou a linha de chegada após completar 375 voltas, com 12 de vantagem para o então campeão Jair Bana, que correu em um Protótipo Aldee em dupla com Tino Vianna.


quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Coleção miniaturas 1:64 - VW Caravelle


Mais uma miniatura VW para a coleção, na escala 1:64: desta vez, trata-se de uma rara VW Caravelle, uma van de grande porte que a montadora alemã importou para o Brasil no final dos anos 90. Essa não dá nem vontade de tirar da embalagem!