"Um espaço reservado para falar das lembranças, histórias e episódios dos mais de 50 anos de Mil Milhas Brasileiras. E de outras coisas mais!"

domingo, 22 de março de 2015

Estrangeiros da Stock Car: Dessa vez, pra valer!


Há cerca de um ano, trouxemos ao blog o retrospecto das participações de pilotos estrangeiros da Stock, ocasião em que foi realizada a primeira corrida de duplas na categoria, contando com a participação de vários pilotos destacados de diversas categorias do mundo, seja de turismo ou fórmula.

Tendo em vista a belíssima vitória do Argentino Nestor Girolami, que desde os treinos já vinha dando mostras de que seria um dos candidatos à vitória, é necessário atualizar algumas informações:

- O Argentino Nestor Girolami tornou-se o primeiro estrangeiro a vencer uma prova da Stock

- O Australiano Mark Winterbottom e o Português Álvaro Parente, são os únicos dentre os convidados, que disputaram as provas de 2014 e 2015, sendo que o retrospecto de Winterbottom é superior - 4º lugar em 2014 e 2º lugar em 2015 - em relação ao de Parente, que abandonou em 2014 e foi 7º em 2015.

Os demais estrangeiros que participaram da prova foram:

- Antônio Félix da Costa (piloto do DTM e vencedor do GP da Macau de F3 em 2012): Em dupla com Allam Khodair, o piloto português foi ao pódio com o 3º lugar obtido após uma bela disputa com o argentino José Maria López.

- José María López (Atual campeão do WTCC, e igualmente campeão na TC 2000, Super TC 2000, Top Race V6 e Fórmula Renault Italiana e Européia): Correu com Cacá Bueno, terminando na 4ª posição, após briga ferrenha com Antônio Félix da Costa.

- Laurens Vanthoor (campeão da Fórmula 3 Alemã): Terminou na 8ª posição, em dupla com Valdeno Brito.

- Jaime Alguersuari (campeão da Fórmula 3 Britânica em 2008): Foi 10º em dupla com Luciano Burti.

- Nicolas Prost (Fórmula - E): Terminou na 11ª posição, com Júlio Campos.

- Jacques Villeneuve (sua vitoriosa carreira dispensa comentários): Apesar de ter disputado a prova final (corrida do milhão) em 2011, ocasião em que terminou no 18º lugar, o canadense não participou da prova de duplas em 2014. Na prova de hoje, em dupla com seu antigo companheiro de equipe na BAR, Ricardo Zonta, terminou na 15ª posição, após rodar sozinho e mais adiante se envolver em um entrevero com mexicano Ádrian Pérez, irmão do igualmente complicado Sérgio Pérez.

- Vitantonio Liuzzi (Ex-F1 e campeão da antiga Fórmula 3000 em 2004): Foi 18º, em dupla com Felipe Lapenna.

- Ezequiel Bossio (campeão da Fórmula Renault Argentina em 2004 e da Classe 3 do Turismo Nacional em 2007): Após o companheiro de equipe Alceu Feldmann largar dos boxes, terminou na discreta 19ª posição.

- Matias Milla (Campeão da TC 2000 em 2013): 20º lugar, em dupla com Bia Figueiredo.

Não terminaram:

Chris van der Drift (Tuka Rocha)
Antônio Pérez (Rafael Suzuki)
Frédéric Vervisch (César Ramos)





sexta-feira, 13 de março de 2015

Protótipo ANR Chevrolet


De repente surgiu-me a idéia de falar um pouco sobre alguns dos inúmeros protótipos que já disputaram a maior prova de Endurance do nosso automobilismo, a saudosa Mil Milhas Brasileiras. Para hoje, pensei em um protótipo que fez bonito no ano de 2003, pois chegou à frente de bólidos que eram sérios candidatos à vitória naquele ano. Trata-se do Protótipo ANR Chevrolet.

Como o próprio nome já diz, o protótipo foi construído em meados de 2002 pela equipe brasiliense Amir Nasr Racing, tradicional e vitoriosa na Fórmula 3 Sulamericana e que até a temporada passada disputou o Brasileiro de Marcas e Pilotos, após passagem na Stock Car. O projeto partiu de um chassi de Fórmula 3, do qual foram aproveitados o núcleo central do chassi e a suspensão. O propulsor utilizado foi um Opel 2.0 litros, cuja preparação rendia cerca de 240 cavalos.

Na prova de 2003, a condução ficou sob a responsabilidade do quarteto Vitor Meira/Rogério Villas Boas/Antônio Villas Boas/Alexandre Rodrigues, sendo que Meira pilotou a maior parte do tempo. No grid, conquistou a 6ª posição, com o tempo de 1min43s653. A performance na corrida pôde ser comemorada como uma vitória, tendo em vista que para chegar na 2ª posição, o pequeno protótipo superou concorrentes muito mais fortes, como os dois Porsches 911 GT3 que ficaram na 3ª e 4ª posições. De quebra, o ANR ainda registrou a volta mais rápida da prova, com o tempo de 1min42s433, média horária de 151,439 km/h.

Ainda em 2003, nos 1000 km de Brasília, o protótipo ANR foi vice campeão, perdendo novamente apenas para um Porsche 911 GT3. Na ocasião, a pilotagem ficou por conta do trio Rogério Villas Boas/Juliano Moro/Alexandre Rodrigues.

Ausente nas edições seguintes da Mil Milhas Brasileiras, o ANR fez mais duas participações nos 1000 Km de Brasília:

2004 -Juliano Moro/Rogério Villas Boas/Antônio Villas Boas/Alexandre Rodrigues - 25º lugar, com 37 voltas completadas.

2005 - Juliano Moro/Rogério Villas Boas/Antônio Villas Boas/Alexandre Rodrigues - 8º lugar, com 146 voltas completadas.

Até pouco tempo atrás esse carro estava à venda no site Mercado Livre, pela bagatela de R$ 240.000,00.